Cams.

Adotado no Evelyn's Place.com Camila C. Crosgnac Fracalossi, sagitário, 17 de dezembro de 1990. Formada médica veterinária pela UNESP Botucatu, namora o João (Fev/10) e é paraense de coração.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Não recomendo (mais): Mototáxi Confiança, Botucatu/SP.

Quem me conhece sabe que (1) eu não tenho carro em Botucatu; (2) o sistema de transporte da cidade é uma merda; (3) eu adoro motos e, portanto, (4) uso constantemente os serviços de mototáxi sempre que possível e necessário. Sempre usei e recomendei o Mototáxi Confiança porque sempre achei o melhor em questão de preço e qualidade, mesmo me sentindo extremamente insatisfeita nos últimos meses - com motoristas descuidados e que quase me mataram, mesmo que de susto, se jogando em cima de ônibus e caminhões. Não sou medrosa com moto, senti certo medo com eles mas passou, relevei a situação. Isso sem contar com o outro, em meados de Junho/Julho do ano passado, que chega dizendo que atropelou um cachorro - que bom pra você, sua mãe deve estar orgulhosa.
Hoje, eis que precisei vir à cidade para resolver papelada de faculdade e pedi uma moto. O moço veio pela contramão na minha rua, o que já não me agrada em nada e, na hora de subir na garupa, não esperou que eu me ajeitasse por completo. Eis que fui um tanto quanto pendurada na moto até um certo trecho do caminho, onde o motorista ouviu um barulho (talvez porque eu estivesse pendurada?) e teve o bom senso de esperar que eu me ajeitasse. O resto da viagem transcorreu normalmente: chegamos ao meu destino, eu paguei e fomos ambos embora. Assim que cheguei em casa, voltando com um mototáxi da mesma empresa, recebi uma cobrança de R$150,00 sobre a rabeta da moto do primeiro motorista, que foi trocada em uma autopeças da cidade.
Liguei na empresa de mototáxi e fizeram pouco caso de minha ligação, respondendo às minhas palavras com "hms" e "tás" e me dizendo que mandariam que o motorista entrasse em contato comigo ou viesse até minha casa. Mas eu digo: eu não acho certo que eu pague sendo que era eu quem estava sob risco, pendurada pela moto, quando a responsabilidade da segurança do passageiro é do motorista, e assim é a qualidade do veículo. Além do mais, achei injusta e covarde a maneira como recebi a cobrança, através do porteiro de meu condomínio, dizendo que o motorista passou pra deixar o papel. Se estava quebrado, por que ele não me chamou para conversarmos, a fim de resolver o problema?

Não sei ainda qual vai ser o desfecho, mas já estou tomando minhas providências: vou contactar o PROCON, reclamar meus direitos e esperar novamente o contato deles, lembrando que AMANHÃ não estou mais aqui na cidade. Além disso, vim tirar a minha recomendação de sempre quanto ao serviço. A (falta de) educação da atendente através do telefone eu sempre ignorei, mas depois disso é mais um ponto para que eles percam uma de suas mais fiéis clientes.

Ao Mototáxi Confiança, digo: vocês, de fato, perderam uma cliente - independente do que aconteça em relação à história aqui relatada. Não só uma simples cliente, mas uma cliente que costuma chamar de duas a três motos por ligação e que chega a utilizar os serviços quatro vezes em apenas um dia, quando necessário. Passar muito bem.

Se alguém aí entende de direitos de consumidor, peço ajuda, por favor.


--edit
1: Devido ao horário (18h07min), não consegui ligar no PROCON correspondente à cidade de Botucatu/SP e tampouco consegui contactar o suporte online, que funciona apenas até as 16h00min. Deixo pronto o meu encaminhamento para o dia de amanhã.

2: Retornei a ligação ao Mototáxi Confiança (18h42min) porque ninguém me retornou e fui atendida por outra pessoa, que ficou indignada também com a minha história e vai tentar contactar o motoqueiro em questão. Desta vez, parabenizo o atendimento. O celular do motoqueiro dá que é inexistente ou fora de área, sendo que eu tentei mais de dez vezes em horários espaçados, desde as 17h.

3: Pesquisei o preço médio de rabetas de moto e não sei o que tem de tão especial na dele, mas encontrei por volta de R$50 e R$70 rabetas de Honda, inclusive do modelo da dele.

4: Ele me contactou por telefone e, bom, conversamos e diante de tudo, concordamos em metade e metade. A "brincadeira" me sai por  R$75, mas eles perdem a cliente. Me soa justo o suficiente. Só pagarei em duas semanas. Hora de abrir meu cofrinho e gastar metade do que economizei pro futuro ingresso de um show (Y)

1 comentários:

Sylv disse...

Que absurdo Cams! Gente, que coisa ridícula. Aqui em Brasília nunca vi mototáxi, para falar a verdade. E você está absolutamente certa. Vamos torcer para que não aconteça nenhuma injustiça.

Postar um comentário