Cams.

Adotado no Evelyn's Place.com Camila C. Crosgnac Fracalossi, sagitário, 17 de dezembro de 1990. Formada médica veterinária pela UNESP Botucatu, namora o João (Fev/10) e é paraense de coração.

sábado, 26 de abril de 2008

Vida nova!

Passando por aqui pra avisar que fiz um novo blog. Como eu escrevi nele, queria algo mais 'realista', menos esportivo e tal. Portanto, conheçam-no!


Join The Revolution!


Lembrando que o Dark Chest Of Wonders tá com postagem nova, a música que eu escrevi hoje. Quero dizer, uma das três ;D
Beijo negada ;*


A Forest @ The Cure

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Edward Cullen (L)

Twilight

Photobucket


OMG, caaara. Achei alguma coisa pela qual eu possa viver agora, sem Harry Potter. Embora por pouco tempo, porque já tá tudo pronto e boa (Y) mas, OMG!!!!!
Eu SEI que tô inquieta, e isso é culpa da senhora Stephenie Meyer [quote]"Ela é irmã do Erlen!" "Que Erlen? Oo" "Do Erlen Meyer!"[/quote]. Ela escreve parecido com a Jo (eu acho, não ousem me contrariar xD), ela escreve ultra bem, tem um bom gosto musical (muito bom, eu diria ;D) e tal. Tô apaixonada! HUASUHASUHAS



Photobucket
Meu desktoooop /o/ nem apaixonada xD


Vou escrever. Tô aguçada pra isso no momento ;]
Beijos o/





; c a m s

terça-feira, 15 de abril de 2008

On the edge breaking down.

At this moment, there are six billion, four hundred seventy million, eight hundred eighteeng thousand, six hundred seventy one people in the world.
Some are running scared.
Some are coming home.
Some tell lies to make it through the day.
Others are just not facing the truth.
Some are evil men, at war with good.
And some are good struggling with evil.
Six billion people in the world, six billions souls.
And sometimes all you need is one.


para blog


É, saudades. Enormes, imensas e absurdas! Fora a dor de ver as pessoas que você tanto ama te criticando sem motivo ou simplesmente te usando, a dor de ver as pessoas que você ama magoadas por algumas atitudes suas (mesmo que, de certa forma, relevantes). Os pensamentos confusos, as saudades de sentir aquele sentimento bom que eu ignorei há algum tempo, vontade de ter alguém que me ame ao meu lado (mesmo que eu não queira admitir). Saudades da infância, saudades dos tempos como eram antes, das coisas simples, das tardes chuvosas com pipoca e filme tosco da TV e as risadas com irmão e avó.
Eu sei que perdi tudo isso; acabou, eu cresci, surgiram as responsabilidades. Sei que não voltam, sei que não existe o sempre, sei que não existe a fantasia, sei que o amor é mais complexo que uma molécula bioquímica e as fórmulas físicas, sei que o mal muitas vezes vence o bem. Aprendi, devo muito a todos ao meu redor, mas não devo esquecer de mim mesma. Afinal, eu aprendi; se não fosse eu, nada teria aprendido o que foi ensinado e isso seria desperdiçado.



How could this happen to me?

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Pensamentos

Não importa a dor, as saudades provocam a hemorragia interna mais intensa.
Não importa o tempo, ele sempre consegue se reduzir ao máximo quando se precisa dele.


Preciso de abraços, risadas, sorrisos, ao vivo;
Não consigo mais sobreviver de fotos paradas, vídeos sem vida.
Careço de realidade, e essa é a maior verdade;
Preciso de vida real, vida real virtual.
Não é eficiente olhar o espelho,
Reflexos não me trazem quem eu quero.


Surtos ♥