Cams.

Adotado no Evelyn's Place.com Camila C. Crosgnac Fracalossi, sagitário, 17 de dezembro de 1990. Formada médica veterinária pela UNESP Botucatu, namora o João (Fev/10) e é paraense de coração.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Uma vida, mil filosofias

I'm not calling for a second chance,
I'm screaming at the top of my voice.
Give me reason, but don't give me choice,
'coz I'll just make the same mistake again

Same Mistake - James Blunt



Início
As coisas nunca acontecem simplesmente, sem uma razão... você as descobre tarde, mas descobre que SEMPRE houve um porquê.
Acredite nessas palavras: elas são mais reais do que você imagina.

Parte I
É, filosofar de vez em quando não faz mal para ninguém. No fundo, nem uma pequena dose de egocentrismo e ódio do mundo todo.
Parece idiota imaginar que o mundo chore por você quando chove e, por isso, você se sente tão aliviado quando isso acontece? Talvez para quem não entenda. Você se conhece por inteiro, com certeza melhor do que qualquer outro. Porque os outros te olham e na mente deles surge um turbilhão de pensamentos sobre você. Mas, afinal, por que eles pensam em você, sendo que você por vezes nem os conhece? O instinto humano de se importar mais com os outros do que consigo mesmo, às vezes, supera os limites que achamos conhecer. Se isso é bom? Diga por você mesmo, levando em conta que elas não se preocupam umas com as outras, mas se importam com o quê elas fazem; afinal, há divertimento maior que saber da vida alheia? Há, claro, conhecer e se preocupar com a sua própria.
Tente, ao menos por uma vez, entender seus problemas e encontrar possíveis soluções; nem que bizarras, elas te divertirão e você poderá ter um momento de genuína alegria, impossível de se experimentar em outra situação. Não que seja egoísmo, mas por vezes é bom sorrir e chorar sozinho, compreender seus sentimentos e pensamentos.
Não estou dizendo para que não tenha amigos; tenha-os sempre por perto, eles são base para quem não pode contar sempre com sua família - falo por mim mesma. Conte com eles, ria, chore, pense, debata, reflita; mas não se esqueça de, eventualmente, confiar em seu próprio coração.

Parte II
Cansei de parecer superficial, uma pessoa como outra qualquer: não se iluda, não a sou, tal como não sou quem você procura. Talvez eu pareça doente e abatida, por dizer isso, mas me sinto extremamente satisfeita de ser quem sou. Não continue com sua ilusão, não estou tentando ser simpática - justamente o contrário. Não quero que as pessoas se apeguem a mim, não quero que se preocupem demasiado comigo, não quero que elas se sintam mal quando estou em prantos. Em resumo, não quero que elas sofram com tudo o que sofro por amar demais. E, quer saber? Se é que eu posso dar um conselho, lembrem-se de si mesmos - nem que só de vez em quando.




Releiam as primeiras linhas, e comparem-nas ao post anterior. Sim, as coisas nunca acontecem sem razão - simplesmente escrevi algumas linhas, aparentemente sem sentido, mas que eu mesma pude comprovar através do futuro.
Agradeço à minha musa Inspiração, e especialmente a Andressa Souza, meu "ídolo inatingível" que não pode pegar fogo porque eu a amo. MUITO OBRIGADA POR TUDO, XUXU!

domingo, 20 de janeiro de 2008

♪ Look around, around, around, around...

Oi, gente, tudo bem? *durgh*
Ah, deu vontade de postar, só porque eu tô feliz. É divertido saber que você pode reencontrar amigos e sorrir com eles, sabe? Sempre, em todos os casos. Falo sobre meus amores do McMeeting, que desempenham um papel cada dia mais importante pra mim, e pelo Cadu, que eu reencontrei ontem no ônibus.

Sabe? As coisas nunca acontecem simplesmente, sem uma razão... você as descobre tarde, mas descobre que SEMPRE houve um porquê.