Cams.

Adotado no Evelyn's Place.com Camila C. Crosgnac Fracalossi, sagitário, 17 de dezembro de 1990. Formada médica veterinária pela UNESP Botucatu, namora o João (Fev/10) e é paraense de coração.

domingo, 3 de janeiro de 2010

Livro: Miles To Go

Agora que as férias começaram (não que as minhas sejam necessariamente férias, já que eu chamaria isso de "tortura pré-resultados de vestibular"), eu finalmente tenho tempo pra ler o mundo de livros que comprei/ganhei durante esse ano. Só hoje terminei dois livros - sendo que, um deles (Gossip Girl - volume 4: Do Jeito Que Eu Gosto!, de Cecily Von Ziegesar), já estava começado há eras e o outro eu comecei há três dias. Isso tirando o livro Venha Ver o Pôr-do-sol e Outros Contos da Lygia Fagundes Telles, de onde eu (re)leio um conto por dia todos os dias. Sou apaixonada por ela e meu livro tá destruído de tanto manuseio, hahaha!
Enfim. Vim falar daquele livro que eu li super rápido e adorei, e esse é o momento em que provavelmente vão tirar sarro da minha cara (a menos que a Liih me defenda! lol).



Miles To Go

Autor: Miley Cyrus
Gênero: autobiografia
Idioma: inglês (fácil de ler pra quem tem pouco domínio!)
Preço: aproximadamente US$17 (R$59,90 na Saraiva)
Nota final: 5/5


"There are multiple sides to all of us. Who we are and who we might be if we follow our dreams"

Sinopse:
Em sua autobiografia, Miley Cyrus mostra todo o seu passado - desde a infância e sua vida em uma família unida e cheia de valores até como foi ser vítima de bullying no 6º ano de Middle School (o equivalente ao Ensino Fundamental no Brasil) e ser escolhida para estrelar o programa mais famoso da Disney na pele da protagonista Hannah Montana e seu alter-ego Miley Stewart. Fala ainda de como sonha em fazer a diferença e de como aproveita os holofotes apontando-na como celebridade para fazer o bem para quem precisa, bem como conta sobre o seu relacionamento com um certo Prince Charming ("príncipe encantado") que todos conhecemos bem, o início de sua carreira e seu Sweet Sixteen (seu aniversário de 16 anos) antecipado na Disney, com um ingresso de US$250/pessoa e verba total doada para uma instituição que ajuda crianças. Um livro empolgante e divertido que ainda traz fotos da vida toda da cantora e atriz.

Opinião pessoal: Sou apaixonada por biografias e acho fascinante ler uma autobiografia. É um dom escrever a sua história de vida, não importa ela qual seja. Em seu livro, Miley o faz cheia de carisma. As demonstrações de emoção fazem com que você se sinta como um amigo próximo, conversando pessoalmente sobre todas aquelas coisas. Quando Miley fala sobre o seu avô, sua infância e suas lembranças antes de sua morte, é impossível não se emocionar, a menos que alguém tenha trocado seu coração por uma batata (! - passa da meia noite, explicado). E ainda, apesar de todos conhecermos o final da história, é impossível não ficar torcendo para que tudo finalmente dê certo. Meio ridículo alguém dizer, depois de conhecer a história inteira, que Miley só teve sucesso porque seu pai era famoso: ela lutou pra conseguir o papel em Hannah Montana e teve seu esforço reconhecido. Como ela mesma diz? Fé.
Sei que muita gente adooora chamar ela de "Slut Cyrus" (slut = vagabunda, em inglês) só por causa da história dela com o tal do Nick Jonas. Pode até ser que seja porque eu não gosto dele e gosto dela (mesmo que, graças a ela, tenho uma pequena ínfima simpatia pelo garoto), mas acho que o que ela faz ou deixa de fazer é outra história e só diz respeito a ela. Ela não faz mal a ninguém; pelo contrário, faz bem. Ninguém é obrigado a gostar dela, óbvio, mas acho que essa historinha de Niley (Nick + Miley) é desculpa esfarrapada por nada. Enfim, o que ela faz é atuar e cantar. Gosto é gosto, no fim das contas.

0 comentários:

Postar um comentário